Piso Aquecido: Como transformar o seu ambiente em um lugar aconchegante
solucoespisoaqueicdo

Piso Aquecido: Como transformar o seu ambiente em um lugar aconchegante

Sem tempo?

Xales, lareiras, tapetes e aquecedores portáteis ajudam a manter um ambiente aquecido e deixar o frio da porta pra fora. Mas existe uma forma muito mais eficaz e barata de manter o seu ambiente caloroso e aconchegante: o piso aquecido!

Além de fazer bem para a saúde, o piso aquecido deixou de ser considerado um item de luxo e hoje se faz necessário em muitos ambientes, desde casas, mas também para apartamentos, escritórios e indústria agropecuária.

Conhecido também como “piso radiante”, o piso aquecido é considerado o sistema mais moderno e econômico do mercado quando o assunto é calefação de ambientes. Inúmeros arquitetos têm recomendado o piso aquecido como melhor opção para aquecimento residencial ou de ambientes devido aos princípios de funcionamento desse sistema, que é responsável pela sua eficiência e eficácia. Vamos entender mais sobre ele?

O que é um piso aquecido?

Segundo o professor do Centro Internacional de Energia Interna e Ambiente da Dinamarca, Bjarne Wilkens Olesen, em seu artigo “Radiant floor heating in theory and practice” (“Aquecimento de piso radiante na teoria e na prática”) – que você pode ler clicando aqui -, o aquecimento de pisos tem o perfil de ascensão de calor mais próximo do modelo ideal, que considera a região inferior do corpo (pernas e pés) como a que mais necessita de calor e, por isso, o calor deve reduzir sua temperatura gradativamente de baixo para cima.

É exatamente o que o sistema de calefação de piso aquecido faz.

Entretanto, muitas pessoas ainda confundem o piso aquecido com um tipo de material de piso “quente”, como porcelanato, taco de madeira e etc. Na verdade, o piso aquecido é uma tecnologia de revestimento aplicada sob o piso que permite que você controle a temperatura do ambiente através de um termostato até a temperatura desejada.

Se instalado corretamente, o piso aquecido pode ser um dos sistemas de calefação de ambientes mais econômicos do mercado, economizando até 38% de energia elétrica comparado aos equipamentos de ar condicionado, além de ser ecologicamente correto, pois o piso aquecido não queima oxigênio e não produz qualquer tipo de resíduo. Isso vale tanto para os sistemas de água quente (hidrônicos), quanto para os de resistências de aquecimento (elétricos).

Essa economia acontece porque os sistemas não exigem uma temperatura tão alta para entregar o mesmo efeito de conforto, além da convecção natural, pois quando o piso aquecido aquece o ar, esse ar sobe em direção ao teto naturalmente, já que o ar quente é mais leve que o ar frio. Diferente do ar condicionado, por exemplo, que precisa forçar a ventilação para baixo.

O tipo de sistema escolhido para a aplicação do piso aquecido faz toda a diferença, principalmente na hora de calcular o consumo de energia. Nós da Sapiens, trabalhamos com os principais tipos: os de sistemas hidrônicos e os elétricos. Adiante você vai entender como cada um deles funciona.

Como o piso aquece o ambiente?

Piso aquecido é como chamamos o conjunto de isolantes aquecidos – como cabo calefatores e sistema de tubulação – que permite o controle da temperatura do chão de cada ambiente. Ou seja, o piso aquecido não é o piso em si, mas sim o sistema de aquecimento que é instalado sob o piso (no chão).

O aquecimento pode ser feito tanto pelo sistema elétrico quanto pelo hidrônico – a diferença entre eles é a forma de aquecimento. O controle da temperatura pode ser feito por um termostato instalado na parede, como aqueles que controlam o ar condicionado em quartos de hotéis, por exemplo.

Após atingir a temperatura desejada, o sistema entra em um ciclo de liga/desliga para compensar as perdas de calor. Você pode entender melhor solicitando mais detalhes técnicos com um consultor especialista através do nosso Whatsapp, clicando aqui.

Para definir qual é o modelo de piso aquecido é ideal para seu projeto, é preciso calcular o consumo de um sistema. Vamos nos basear em um banheiro típico de até 3,5m², que tem o consumo de energia, em média, R$ 20,00 por mês, o que já é considerado um valor elevado.

Um modelo ideal de piso aquecido pode consumir até R$ 0,03/m² (três centavos por metro quadrado por hora), algo em torno de 30 a 40 Watts/m².h, se formos considerar o modelo ideal um ambiente de 10m². Se usado 6 horas por dia, durante 20 dias por mês, pode chegar a consumir R$ 36,00/ mês (trinta e seis reais por mês).

Um outro ponto importante para se considerar ao escolher um tipo de sistema de piso aquecido, é o isolamento do piso. Nesta parte, é preciso tomar certo cuidado.

É relativamente comum encontrar soluções de isolamento com eficiência baixa demais ou até de eficiência sem comprovação alguma. Um bom material isolante precisa barrar o calor descendente. Algumas soluções comuns e eficientes são o XPS, o EPS de alta densidade e o EPE.

A escolha incorreta da solução isolante é extremamente prejudicial e acarreta muitos prejuízos, uma vez que a obra toda tem que ser refeita para evitar riscos à construção.

Para o sistema ideal, o primeiro item considera o EPS, o XPS ou o EPE de espessura mínima de 10 mm.

Tipos de piso aquecido

Diferentes tipos de piso aquecido são recomendados para diferentes tipos de projeto. Para escolher o modelo ideal para o seu projeto, é importante conhecer alguns detalhes sobre como funciona cada sistema. Existem três tipos de pisos térmicos:

●     Acumulação

O sistema de acumulação (ou de cabos calefatores de contrapiso) é instalado entre a laje e o contrapiso. É o tipo de piso térmico com o aquecimento mais lento (6 graus em 1 hora), pois exige que o material isolante que é instalado sob uma camada de contrapiso seja mais resistente. Sem um isolamento feito com material de qualidade abaixo desse sistema, a eficiência do aquecimento e a durabilidade do piso podem ser comprometidas.

Este sistema de piso aquecido é compatível com todos os pisos e revestimentos do mercado e é ideal para reformas ou obras novas.

É recomendado para projetos especiais.

●     Superfície

Este sistema é instalado entre o contrapiso e o piso, por isso também pode ser conhecido como sistema de cabos calefatores de superfície ou aquecimento direto. É um sistema de piso aquecido que possui uma resposta mais rápida, ou seja, atinge a temperatura desejada em menos tempo.

Isso se dá pelo fato de utilizar materiais isolantes de menor espessura e ficar mais próximo do piso.

É considerado o sistema elétrico para piso aquecido mais tecnológico do mundo e possui o menor consumo se comparado com o sistema anterior.

●     Sistema hidrônico.

Diferente dos sistemas anteriores, o sistema hidrônico não utiliza cabos calefatores, mas tubulação com água quente, geralmente aquecida a gás, lenha, entre outros, o que gera ainda mais economia.

O sistema elétrico (de cabos calefatores) é o tipo mais comum. Por ser compatível com a maioria dos pisos e revestimentos do mercado, seu formato é mais seguro e duradouro do que o sistema hidrônico.

Também é possível encontrar o tipo em manta para laminados. Ela é ideal para pisos flutuantes, aqueles que não são fixados na base.

Como é a instalação do piso aquecido?

Por serem modernos e seguros, os sistemas de piso aquecido podem dar a impressão de ser algo simples de instalar, porém, sempre recomendamos a contratação de um profissional especializado. Você pode solicitar a instalação com a Sapiens através do nosso Whatsapp. É só clicar aqui.

Em qual cômodo instalar?

O primeiro passo para instalar piso aquecido é definir em quais ambientes o sistema será aplicado. Pode ser em todos os cômodos, como é o caso de regiões onde a temperatura cai a níveis baixíssimos, ou optar em ambientes específicos. Geralmente, os ambientes sociais como sala de estar, cozinha, sala de jantar e até escritório são os mais escolhidos em regiões onde o clima é mais ameno.

Com qual material vai revestir?

A escolha do revestimento de cada ambiente vem logo em seguida. Os pisos considerados “frios” como cerâmicas, pedras e porcelanatos são os favoritos, pois oferecem uma resposta mais rápida ao aquecimento. Isso significa que a sensação de conforto na hora é superior.

Isso não quer dizer que pisos de madeira e/ou sintéticos sejam ruins. Eles também possuem um aquecimento bastante satisfatório.

Qual sistema instalar?

Se ainda houver dúvida entre os sistemas de piso aquecido, você pode voltar ao tópico anterior e estudar com calma cada um dos sistemas de calefação de ambientes. Porém, o mercado brasileiro vem mostrando que o sistema de superfície tem certo favoritismo.

Talvez por ser o sistema com menor consumo e resposta mais rápida ao aquecimento, o seu custo benefício seja mais atrativo. Você pode optar por falar com um de nossos consultores por Whatsapp, clicando aqui, ou em nosso site, clicando aqui, para mais detalhes técnicos sobre qual sistema se encaixa melhor no seu projeto.

Com ou sem isolamento?

Como já abordamos anteriormente, o isolamento é uma etapa muito importante para a eficácia e eficiência do sistema de piso aquecido. Ainda que seja comum alguns engenheiros civis e arquitetos utilizarem materiais que sequer cumpram essa função, reforçar a sua importância no projeto de piso aquecido nunca é demais.

Mão na massa!

Depois de se certificar que todas as etapas anteriores foram seguidas com toda a atenção que o projeto exige, você tem sinal verde para avançar do planejamento à execução e, literalmente, pôr a mão na massa.

O roteiro para a instalação do piso aquecido é:

Instale o isolamento

O material de isolamento vai acima da laje, de preferência com algum outro material que aumente a resistência à tração do conjunto. Isto porque é a zona de contato de dois materiais de composição muito distante.

Aguarde a cura do contrapiso e instale o cabo de aquecimento

Após a cura do contrapiso, o passo seguinte é instalar o cabo de aquecimento, que pode ser fixado através de buchas ou guias com o desenho respeitando a carga térmica dimensionada.

Cubra o cabo com uma camada de argamassa

Assim que o cabo de aquecimento for instalado, o recomendado é cobrí-lo com argamassa de assentamento em uma consistência mais líquida, de preferência a ACIII, para que o assentamento do revestimento final seja mais fácil.

Assente o revestimento

Após a secagem da primeira demão de argamassa, assente o revestimento final sem usar material cortante ou metálico.

Instale o disjuntor e a fiação recomendada

Com um multímetro, verifique o valor da resistência ôhmica do cabo. É importante que não haja variações exageradas. Calcule a carga do sistema em ampéres e verifique qual fiação e o disjuntor são recomendados, conforme a NBR5410.

Instale a caixa de passagem e o conduíte

A caixa de passagem recomendada pode ser a 2×2 ou a octagonal 3×3 com anel deslizante e o conduíte deve ser, no mínimo, 3/4″.

Conecte o sistema à rede elétrica

Após a instalação do sistema, a última coisa é a conexão com a rede. O termostato possui entrada para a alimentação elétrica e para o cabo de aquecimento. Lembre-se de sempre monitorar o valor de resistência ôhmica do cabo durante todo o processo para se certificar de que tudo está ok.

Piso aquecido é muito caro?

Os valores podem variar de acordo com cada projeto e com o tipo de sistema para aquecimento. Em linhas gerais, podemos dizer que o valor médio do investimento em piso térmico no sistema hidráulico (somente a rede) fica em torno de R$ 140,00 o m², enquanto o piso térmico no sistema de calefatores (elétrico) pronto irá chegar na casa dos R$ 190,00 o m².

Quer saber mais sobre como deixar seu ambiente mais aconchegante e econômico com piso aquecido?

Só na Sapiens você encontra os melhores profissionais para tirar suas dúvidas e te orientar em seu projeto para, juntos, buscarmos as melhores soluções para suas necessidades. Entre em contato conosco ou fale pelo Whatsapp clicando aqui.

Avalie este conteúdo: post

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Abrir WhatsApp
Precisa de Atendimento?
Oi, estamos Online!
Vamos conversar?